A utilização de sinais sonoros na interface usuário-computador

Parte 1: sistemas aplicativos


A absoluta maioria dos computadores no "mundo Intel" possuem a propriedade de emitir sinais sonoros através de uma placa sintetizadora de som. O som padrão emitido ao iniciar o sistema operacional Windows é um exemplo deste tipo de recurso.

A emissão de som -desde um modesto "bip" até a execução de uma música orquestrada- pode ser comandada pela aplicação. Parece tentador, mas é este um recurso adequado a uma interface amigável? Este é o assunto deste artigo.

Som

O som é produzido por uma vibração no ar, água ou outra substância, que gera uma onda longitudinal de pressão no meio de condução. Ao chegar ao ouvido, essa vibração é captada pelo tímpano e convertida em sinais que são enviados ao cérebro, onde são processados e interpretados, produzindo uma reação. Esta reação é a que nos interessa.

Características dos sinais sonoros

Um som, mesmo que de curta duração, é um fator de distração. Como tal, deve ser criteriosamente utilizado.

Como regra geral, não emita nenhum sinal sonoro em sua aplicação. Um bipizinho aqui, um cliquezinho lá, outro somzinho aculá, e sua aplicação corre o risco de ser candidata, com altas chances, a figurar no Livro Guinness na categoria Aplicação mais "aborrecente" do mundo.

Se você deseja atrair a atenção do usuário enquanto ele ou ela olha para a tela, utilize outros recursos, como cor ou animação. Observe que um sinal sonoro tem algumas características pouco atraentes para esta finalidade:

  • Pode não ser ouvido se o volume de saída estiver baixo, os alto-falantes desligados ou a poluição sonora no ambiente excessivamente alta (por exemplo, um terminal público em um aeroporto ou centro de compras).
  • Não direciona a atenção do usuário a um ponto específico da tela.
  • Pode ser ouvido por outras pessoas, chamando a atenção para o usuário operando a aplicação (algo que ele ou ela pode não desejar)

Há entretanto, algumas exceções nas quais pode ser interessante a utilização deste recurso.

  • Pode-se emitir um discreto sinal sonoro ao completar uma tarefa -executada esporadicamente- que demande a utilização de recursos internos do computador por um período prolongado (maior de quinze segundos). Quanto maior a interrupção no diálogo entre o usuário e o computador, maior a probabilidade que o usuário se distraia; um discreto sinal o alertará para que retorne às suas funções. Note, entretanto, que se o usuário minimiza a janela de sua aplicação e maximiza outra, não será possível distinguir qual a aplicação que emitiu o som. Mas, mesmo assim, é um sinal que algo que merece atenção aconteceu.
  • Este recurso também pode ser utilizado para chamar a atenção de usuários dedicados à tarefas de digitação quando da ocorrência de situações que exijam desviar sua atenção do documento sendo digitado à tela (por exemplo, a ocorrência de um erro que impede a transação de prosseguir). Note que nesta situação há duas mensagens: "Olhe para a tela", e, na própria tela, "Aqui está o problema" (que deve ser indicado mediante recursos apropriados).
  • Um discreto sinal pode ser emitido ao digitar senhas em teclados virtuais, já que a atenção do usuário está voltada ao teclado ("Área de ação") e não à área onde os caracteres da senha vão sendo digitados pela aplicação ("Área de reação"):

Caso sua aplicação utilize som, permita que o usuário defina os principais parâmetros para sua utilização:

  • Se o som vai estar ligado ou desligado.
  • Qual o volume de audição.
  • Ofereça uma seleção de sons por ação e permita que o usuário selecione o que mais lhe agrada.

Sintetização de voz

Certo tipo de aplicações requerem uma abordagem de comunicação bastante diferente, já que a atenção do usuário não está focalizada na tela mas em outros elementos essenciais à tarefa que está executando. Desviar a atenção à tela, mesmo que por poucos instantes, pode até causar danos irreparáveis ou colocar a vida do usuário em risco. É o caso, por exemplo, de um dispositivo instalado no carro que, baseado em informações de um GPS, orienta o usuário a chegar ao seu destino.

Neste caso, a comunicação do computador com o usuário é geralmente efetuada via ordens ou indicações verbais, sintetizadas a partir de um arquivo de mensagens. Observe as seguintes recomendações:

  • Seja direto, concreto e objetivo -porém não agressivo- nas mensagens
  • Se há um espaço de tempo considerável entre uma mensagem e a seguinte, emita um pequeno sinal antes de começar a emitir mensagem, para atrair a atenção auditiva do usuário, garantindo que a primeira parte da mensagem seja também processada.
  • Voz feminina ou masculina? Se a aplicação fornece instruções, geralmente a voz feminina é mais apropriada. Se fornece ordens ou orientações, especialmente em ambientes de estresse elevado (o "cockpit" de um avião de caça, por exemplo) a voz masculina é recomendada.
  • Em qualquer caso, não utilize sintetizações com tom agudo.

Outra aplicação bastante freqüente de sintetização de voz é encontrada nos menus ouvidos em algumas centrais telefônicas. "Bem-vindo a .... "; "Tecle 1 para suporte técnico; 2 para vendas; 3 para compras; ....... ; 9 para falar com um de nossos operadores". Este tipo de aplicação será tratada oportunamente em um artigo específico.


Gostaríamos de ouvir sua opinião sobre este artigo.

Conteúdo

Utlilidade


Entre em contato com o(a) autor(a) deste artigo

Convide um amigo ou colega para ler este artigo

Imprima este artigo


Topo da página

(c) 2003-2006 IBRAU - Instituto Brasileiro de Amigabilidade e Usabilidade. Todos os direitos reservados.

(c) 2006 IBRAU - Instituto Brasileiro de Amigabilidade e Usabilidade. Todos os direitos reservados.

Fale com o(a) colunista.

Você gostou do artigo Análise da usabilidade de uma aplica o de registro de sorteio?

A seguir os dados são opcionais

Deseja enviar uma mensagem a Jorge Marmion?

Seu nome:

E-mail

A produção do site não comercializará o endereço de e-mail acima, nem enviará correspondência indesejada

Preencha os dados abaixo e enviaremos à pessoa que você indicar um e-mail convidando-a a visitar o site e ler este artigo.

Seus dados:

Seu nome:

E-mail

Os dados da(s) pessoa(s) que você quer convidar:

Seu nome:

E-mail

Caso deseje convidar mais de uma pessoa, digite os endereços de e-mail separados por vírgula, sem espaços em branco
(exemplo: joão@uol.com.br,pedro@aol.com)

Caso deseje, envie uma mensagem junto com o convite

A produção do site não comercializará nenhum dos endereços de e-mail acima informados nem enviará correspondência indesejada aos mesmos.