C.A.U.S.A.

(Clínica de Análise de Usabilidade em Sistemas Aplicativos)


Apresentação

A interação usuário-computador é reconhecida cada vez mais como sendo um tópico chave no projeto de desenvolvimento de um sistema, e não meramente uma consideração cosmética. Oferecer ao usuário um sistema ágil, que não gere frustrações, onde as opções oferecidas sejam facilmente identificáveis e compreensíveis, que responda adequadamente, é imprescindível para que o usuário sinta-se satisfeito com o sistema, obtendo assim uma maior produtividade.

Não há, entretanto, uma cultura nesta área. Os sistemas são geralmente projetados empiricamente, com base em uma experiência anterior do desenvolvedor, sem levar em consideração elementos chaves -tanto visuais quanto psicológicos- na implementação do diálogo do usuário com o sistema.

Objetivos

A Clínica de Análise de Usabilidade em Sistemas Aplicativos visa garantir à empresa que desenvolve software, ou contrata o desenvolvimento dos seus sistemas, que:

· A seqüência de operação on-line do sistema é compatível com as funções que o sistema automatiza ou controla;

· O diálogo com o operador ("usuário") é consistente, compreensível e adequado à linguagem de quem usa o sistema;

· A entrada de dados possui os mecanismos de controle adequados;

· A digitação de dados foi projetada para minimizar a quantidade de toques por parte do operador, reduzindo assim a fadiga na utilização do sistema

· As mensagens de erro são ilustrativas, fornecendo todas as informações necessárias para que o usuário corrija o erro ou tome as ações pertinentes;

· A ajuda do sistema oferece, quando necessário, assistência adequada, permitindo ao usuário, em caso de dúvida, e sem quaisquer intermediações, continuar a execução do sistema.

· A informação é apresentada de forma a ser rapidamente compreendida

Operacionalização

Para avaliar seus sistemas através da Clínica de Análise de Usabilidade em Sistemas Aplicativos é necessário:

1. Selecionar quais os sistemas e as aplicações a serem avaliadas.

2. A presença (tempo parcial), ou pelo menos facilidade de acesso, ao Analista ou Projetista do Sistema, para levantamento das informações iniciais: objetivo do sistema, características dos usuários do sistema, platéia, tempo de resposta desejável, etc.

3. Facilidade de acesso a usuários representativos da do sistema.

4. Meios de acesso à operação do sistema (terminal de computador, código de usuário, senhas, etc.)

Duração

Não há uma fórmula para prever, de antemão, a duração da clínica. Dependerá da quantidade de sistemas, complexidade do fluxo transacional e outros fatores. Porém, em média, a análise dos fatores principais em uma transação de média complexidade leva de 30 minutos a 1 hora, por tela.

A Clínica de Análise de Usabilidade em Sistemas Aplicativos prevê também a transferência de conhecimento, possibilitando que os próprios desenvolvedores estejam capacitados a desenvolver projetos de diálogos sólidos, sendo capazes de avaliar objetivamente a qualidade do seu trabalho.

Custo/strong>

O custo total de Clínica dependerá das horas efetivamente trabalhadas.